Os dez conselhos para uma escola bem sucedida: Claudio de Moura Castro

Claudio de Moura Castro

1) Os melhores professores nas primeiras séries: a mais preciosa das decisões

Alunos de sucesso nas primeiras duas séries, geralmente, continuam tendo êxito nas séries subsequentes.

Se escolhermos os melhores professores de português para o início da escolarização, garantimos o sucesso escolar de todos os alunos.

Sabemos que os melhores professores se caracterizam por:

  • Já acumular bons anos de experiência.
  • Ter um conceito positivo de si mesmos e do seu trabalho.
  • Ter expectativas positivas com relação a todos os seus alunos.
  • Conseguir fazer com que todos os alunos aprendam.

O bom professor é aquele que leva seus alunos a aprender bem o que precisam aprender, no ritmo correto.

Indicar os melhores professores de português para os dois primeiros anos é a melhor forma de assegurar o êxito educativo da nossa juventude.
2) A duração do ano escolar: mais se estuda, mais se aprende
3) As expectativas positivas: devemos sempre esperar o melhor
4) O certo e o errado: as crianças sabem
5) A importância do caderno: é a primeira obra literária dos alunos
6) O dever para casa: a escola vai à casa do aluno
7) A importância dos amigos: é nesses grupos que se nutrem os valores
8) Os livros escolares: a alegria de ler
9) A promoção automática: o maior desafio
10) A educação para todos: a grande meta nacional
Claudio de Moura Castro

Claudio de Moura Castro (1938) é um economista brasileiro, atualmente preside o Conselho Consultivo da Faculdade Pitágoras e é Diretor de Novas Metodologias da Faculdade da Saúde e Ecologia Humana. É graduado em Economia pela Universidade Federal de Minas Gerais, mestre pela Universidade Yale e doutor pela Universidade Vanderbilt. Castro foi professor da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, da Fundação Getúlio Vargas, da Universidade de Chicago, da Universidade de Brasília, da Universidade de Genebra e da Universidade da Borgonha. Trabalhou no Banco Mundial e no Banco Interamericano de Desenvolvimento, presidiu a CAPES de 1979 a 1982, foi secretário-executivo do Centro Nacional de Recursos Humanos de 1982 a 1985 e técnico do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada de 1970 a 1985, conhecido como conservador e adepto do liberalismo, tem uma coluna quinzenal na revista Veja desde setembro de 1996, e escreve sobre educação no Brasil.

Fonte: Wikipedia

Inspiração

Bernardo Toro é um educador colombiano que sabe o que é importante em educação e aprendeu a mostrar isso aos professores, com um estilo simples, claro e persuasivo. Em suas passagens pelo Ministério da Educação daquele país, preparou uma série de cartazes, destilando o que a melhor pesquisa mostrava sobre as causas do êxito e do fracasso na escola. Bernardo já veio, várias vezes ao Brasil, deixando discípulos e marcas indeléveis, sobretudo em Minas Gerais.

Visitando o Ministério da Educação da Colômbia, colado à parede estava um dos cartazes preparados por ele, com sugestões para escolas de ensino fundamental. Pedi licença e, sem esperar muito por uma resposta, retirei o cartaz. O presente texto é minha adaptação para o Brasil do que havia preparado Bernardo.
Bernardo Toro

Bernardo Toro, um dos grandes nomes da educação na América Latina. (Foto Divulgação)

Aliança Brasileira pela Educação | Parceiros

Assine e não perca nenhuma notícia ou evento. Nós não enviamos spam!